quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Controlador de temperatura

Controlador de temperatura

A automação de ventilador de apesar de útil ainda é pouco utilizada.
Utilizando um circuito integrado projetado para controle de potência, este circuito pode ser de grande utilidade na manutenção de temperatura em ambientes em que se deseja manter a temperatura dentro de uma faixa pré-definida. A potência controlada no ventilador depende do Triac e da regulagem do potenciômetro escolhido. São poucos os componentes usados neste circuito porem ideal para à aplicação.
O circuito integrado TDA1023, que controla o ângulo de condução do Triac em função da resistência apresentada pelo sensor NTC (Negative Coefficient Resistor), que varia sua resistência em função da temperatura teremos um eficiente controle de temperatura para o ambiente que deseja controlar usando o ventilador como carga para ventilar caso a temperatura seja maior que a prevista. Assim, se o disparo for feito no início do semiciclo ele pode conduzir para a carga uma maior potência. No entanto, se o disparo for feito no final do semiciclo uma pequena parcela da energia será conduzida até a carga que operará com potência reduzida.
 O que propomos com este projeto é uma aplicação prática proporcionando ao usuário um mínimo de conforto já que ele liga e desliga o ventilador automaticamente. A manutenção da temperatura será sempre mantida dentro de uma faixa e não de em um valor fixo, ou seja, as temperaturas entre as quais o ambiente vai oscilar.


  Como funciona

O TDA 1023 gera impulsos para acionar o triac. Estes impulsos são ativados até a passagem por zero da rede. Assim o portão de cargas será ligado e desligado pelo disparo de pulsos em rajadas. A potência média, em que a carga é variada pela modificação da duração de impulsos de disparo, e em conformidade com a diferença de tensão entre o controle de entrada e CI a entrada de referência, UR ou BR.
A alimentação Vcc, RX e Vz (pinos 11,14e 16), é fornecida a partir da rede CA através de um resistor RD a conexão RX (pino 16), o VEE conexão no (pino 13) está ligado à linha do neutro( fig. 4 a). Um diodo retificador está incluído entre o RX e VCC, enquanto a tensão de alimentação em corrente continua é limitada por uma cadeia de estabilizador de diodos entre o RX e VEE (fig3). Uma tensão estabilizada (vz) está no (pino 11) e será ligada ao sensor de temperatura. (obs; a relação de (fig, e pinos) referem-se a figuras dodatasheet TDA 1023 anexado a este documento).  
O elemento sensor é um NTC que deve ter uma resistência de aproximadamente 10kΩ nas proximidades da temperatura que se deseja manter no ambiente que será em media 25ºC.
O potenciômetro P1 faz o ajuste da potência que será aplicada no motor na temperatura desejada, ou seja, permite ajustar a temperatura no ambiente no valor desejado.
D1 e R2 proporcionam a alimentação do circuito integrado diretamente a partir da rede de energia de 127 volts.
O sinal de controle para o triac é obtido a partir do pino 3, havendo um resistor de limitação de corrente em série com a comporta.
O triac usado é o TIC226D para 8 amperes que serve para a maioria das aplicações em que elementos de média potência devam ser controlados.
Os capacitores ligados no circuito integrado servem tanto de desacoplamento como filtragem.